Memória e religião no conto “Olhos d’água” de Conceição Evaristo

O presente trabalho tem como intuito analisar o conto “Olhos d’água” da escritora brasileira Conceição Evaristo a partir dos estudos sobre memória individual e memória coletiva. No conto em questão podemos perceber a importância da constituição da memória para o processo de identidade e, ainda, de que maneira elementos pertencentes à religião estão inseridos neste processo.
Leia Mais »

Teatro Experimental do Negro: implicações para as políticas públicas raciais

O objetivo da análise realizada é o de mostrar que, embora, Abdias do Nascimento seja um intelectual negro pouco conhecido entre os estudiosos que trabalham com as relações étnico-raciais no Brasil, seu pensamento-resistência pode ser considerado como um ponto de inflexão frente a cultura dominante que predominava à época em que viveu e lutou. Seus ensinamentos podem contribuir com micropolíticas voltadas ao enfrentamento do racismo institucional tão denunciado nos dias de hoje e tão silenciado no período de criação do TEN.
Leia Mais »

Os vestígios do trauma: herança colonial em Lia Gabriel

Artigo traz uma análise do conto “Lia Gabriel”, de Conceição Evaristo, publicado no livro Insubmissas lágrimas de mulheres (2016). Tem por objetivo descrever a relevância da literatura afro-brasileira na representação do povo negro enaltecendo sua cultura, história, memória e cosmologia.
Leia Mais »

Olhares sobre a presença dos estudantes internacionais no município de Redenção: práticas de sociabilidade e segregação no espaço urbano

Criada no âmbito de uma política de aproximação de cooperação internacional entre Brasil e os diversos países africanos de língua portuguesa, durante o governo Lula, a UNILAB foi implantada nos municípios no interior do Ceará (Redenção e Acarape) da Bahia (São Francisco de Conde). O artigo busca analisar diferentes percepções dos moradores da cidade de Redenção em torno da presença dos estudantes africanos bem como das transformações trazidas para o município a partir da instalação da universidade.
Leia Mais »

Relações étnico-raciais na instituição de Educação Infantil em Dourados - MS: uma análise da prática

Artigo traz resultados de pesquisa que teve por objetivo reconhecer e analisar as práticas discriminatórias ligadas as relações étnico-raciais no contexto da Educação Infantil, para a compreensão do processo de reconhecimento e respeito à diferença entre as crianças. De acordo com as pesquisadoras, a temática ético-racial mostrou-se inexistente dentro do Centro de Educação Infantil investigado, seja nas atividades, nas brincadeiras, na decoração da sala, nos filmes, brinquedos, livros de histórias e desenhos animados que as crianças assistem bem como na percepção dos profissionais.
Leia Mais »

Realidade e literatura: mundos e maneiras de existir em Terra sonâmbula

O objetivo deste estudo é discutir a obra Terra Sonâmbula, de Mia Couto, sobretudo quanto aos aspectos do onírico, do literário e do real, mostrando como estes se confundem e por vezes abrem espaço para questionamentos acerca da existência ou não de instâncias metafísicas dadas como factícias, tais como o tempo ou as ‘coisas’.
Leia Mais »

Além do ensino: identidade negra e extensão em universidade particular

Em artigo duas psicólogas e um cientista político discutem o papel da extensão universitária na identidade negra e na luta antirracista no contexto do ensino superior privado brasileiro. O trabalho se norteia sobre as razões da ausência da extensão na questão da identidade negra e da luta antirracista nesse contexto, e sobre os impactos que mobilizações nesse contexto podem acarretar. Os resultados apontam o esvaziamento da temática na educação superior privada, e a importância do diálogo entre movimentos sociais e educação.
Leia Mais »

Resistência negra e indígena na vila da Nova Abrantes do Espírito Santo

Historiador apresenta as singularidades da história das lutas dos negros escravizados no território da Vila da Nova Abrantes do Espírito Santo, antigo e estratégico aldeamento jesuíta denominado do Espírito Santo, localizado entre os rios Joanes e Capivara, próximo a cidade do Salvador. A Vila da Nova Abrantes do Espírito Santo, foi o primeiro aldeamento a se tornar vila indígena na América portuguesa, posteriormente se tornou foco de resistência e de relações étnico-culturais entre índios e negros.
Leia Mais »

A representação do sujeito negro no rap “Em honra à cor da pele”

Artigo discute o modo como a representação do sujeito negro e a construção de sua identidade ocorrem no RAP produzido por um artista negro. Ancorado em um arcabouço teórico relacionado à hierarquização das raças e às relações raciais no Brasil, à crítica pós-colonial, ao movimento Hip Hop e aos estudos de identidade, o trabalho propõe uma leitura do RAP “Em honra à cor da pele” de BlackShock, lançado em Maringá (PR) em 2017.
Leia Mais »

Política externa brasileira para Guiné-Bissau: uma análise na perspectiva técnica e educacional (2000 - 2010)

Pesquisa busca identificar e compreender as políticas externas do Brasil para com a Guiné-Bissau, na perspectiva técnica e educacional. No âmbito das relações de cooperação Sul-Sul, o Brasil é um dos principais atores entre os membros da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP) e, igualmente, um parceiro gigantesco da Guiné-Bissau no plano da cooperação internacional para o desenvolvimento, pois este último é um dos principais beneficiários dessa cooperação.
Leia Mais »

Políticas sociais em Angola: o impacto dos programas sociais na agricultura familiar

Personagens e culturas guineenses: Kikia Matcho e A última tragédia, entre tradição e modernidade

Estudo comparativo dos romances guineenses Kikia Matcho (1997), de Filinto de Barros e A última tragédia (2006), de Abdulai Silla que busca perceber o choque cultural entre tradição e modernidade nos anos de 1950 a 1990 na sociedade Bissau-guineense é tema de TCC do curso de Bacharelado em Humanidades da UNILAB. O estudo destaca que a adoção dos novos valores culturais da modernidade ocidental não foi efetiva ao ponto de aniquilar toda a experiência prática histórico-cultural das memórias ancestrais.
Leia Mais »

Letramento para as relações étnico-raciais e formação de professores

Professora da rede municipal de ensino de Duque de Caxias (RJ) e mestra em Relações Étnico-Raciais, ressalta a importância do Teatro do Oprimido enquanto ferramenta em busca de Letramento Étnico-racial principalmente de meninas negras. O artigo questiona ainda a formação inicial e continuada de docentes e aponta caminhos para uma prática pedagógica antirracista cotidiana.
Leia Mais »

Religiosidade e empoderamento feminino na poesia de Conceição Lima

As poesias da escritora são-tomense Conceição Lima são ponto de partida para a discussão sobre a posição da mulher dentro da religiosidade tradicional africana. O artigo busca identificar como a escritora traz a imagem desses corpos (mulher/feiticeira/anciã) antes objetificados por um pensamento colonial e como esses conseguem se subverterem de forma a ocuparem um lugar de visibilidade.
Leia Mais »

Os corpos negros na Era Vargas

Pesquisa analisa como os mecanismos sociais tiveram presente na educação dos (as) negros (as), como atuaram e como deixaram marcas inscritas em seus corpos. O processo de exclusão escolar afetou significativamente a população de origem africana, uma vez que, as legislações implementadas na década de 30 fizeram parte desse universo dos corpos negros, através da prática esportiva inclusa na escola, inicialmente apenas como fundamentação científica-social, médica eugenista de cunho racialista. Nesse sentindo, direcionar o olhar para a prática do ensino esportivo é desvelar como o corpo negro vem sendo tratado na escola.
Leia Mais »

Nos estudos sobre gêneros textuais – mulheres negras em primeiro lugar

Mestra em Educação e docente da rede pública de ensino apresenta reflexões e resultados de projeto pedagógico desenvolvido com turma do 5º ano/Ensino Fundamental I, em uma escola pública do município do Rio de Janeiro. A proposta de intervenção pedagógica possibilitou aprendizagens contextualizadas junto aos conteúdos de Língua Portuguesa e História em torno dos debates numa perspectiva interseccional entre gênero e raça.
Leia Mais »

África difícil: A primeira missão diplomática brasileira ao sul do continente africano através do diário de Raymundo de Souza Dantas

Pesquisa analisa a experiência pioneira do corpo diplomático brasileiro em África, de 1961 a 1964 a partir do diário de Raymundo de Souza Dantas, o embaixador enviado para a missão - e o primeiro negro embaixador do Ministério das Relações Exteriores. O artigo nos auxilia a compreender como o Itamaraty desenvolveu suas ações no continente africano, o papel de Dantas e a visão do embaixador acerca deste processo. Além disso, a pesquisa reconstitui uma perspectiva diplomática, apoiada em uma mudança da percepção do lugar do Brasil no mundo e da importância do estreitamento das relações com o continente africano.
Leia Mais »

Os projetos dos naturais em São Tomé e Príncipe através d’A liberdade (1910-1930)

O texto analisa o jornal A Liberdade, publicado entre 1919 e 1923, em São Tomé e Príncipe (STP), pela elite nativa do arquipélago. A partir da perspectiva da História Social propõe-se considerar os sujeitos excluídos da historiografia clássica sobre o colonialismo português, entendendo-os como parte importante das relações sociais estabelecidas nas colônias lusas africanas e observando suas relações com Portugal.
Leia Mais »

A jurema sagrada como planta de poder: cultura e identidade nas religiões afro-brasileiras

O culto à Jurema, desenvolvido e intrinsecamente associado ao conceito de "índio", foi perseguido e reprimido, principalmente com a proibição durante os anos 40 de qualquer prática religiosa relacionada ao universo afro-brasileiro, e foi perseguido em diferentes áreas e contextos até a segunda metade da década de 1960. O artigo nos auxilia a compreender os organismos simbólicos de que se utilizam os adeptos da Jurema, uma religião afro-ameríndia, em face a sua legitimidade como elemento cerimonial e cultural.
Leia Mais »

Mulheres africanas no Brasil

Artigo busca articular a história do Brasil e a história da África, em especial no tocante a opressão sofrida por mulheres negras, assim como as estratégias de sobrevivência da cultura africana no seu processo de reterritorialização forçada na América, cujo ponto metodológico é a compreensão que de que as violências de gênero estão inseridas em um complexo civilizacional que hoje tem seu principal expoente na supremacia branca, mas que suas raízes possuem, ao menos, seis mil anos.
Leia Mais »

Nosso crespo é de rainha

Artigo de Mestra em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas e docente da Prefeitura do Rio de Janeiro, traz a análise de intervenção pedagógica na Educação Infantil que se mostrou capaz de contribuir para a construção de resistência ao racismo por meio de livros e ações fortalecedoras da autoestima das crianças negras.
Leia Mais »

A poesia e o cinema de Ruy Duarte de Carvalho

A partir de um olhar crítico sobre o filme Nelisita: narrativas nyanekas, artgio destaca uma carga poética intensa na profundidade dos recortes das cenas cinematográficas. A intertextualidade entre as artes, então, revela-se como uma experiência artística capaz de apreender com eficiência a profusão das relações humanas, produzindo vozes aos silenciamentos e desmitificando o olhar ocidental estereotipado quando se trata do continente africano.
Leia Mais »

Maternidade a partir da Mitologia Iorubá: Nanã, Iemanjá, Oxum e Iansã

É possível observar uma crescente politização do feminino e da maternidade, com intensos investimentos sobre as mulheres-mães por parte de um discurso científico articulado ao religioso-cristão, que constrói a noção de um amor materno incondicional, para justificar uma suposta tendência das mulheres à maternidade, tanto biológica quanto sentimental. Com base na discussão sobre o sistema moderno colonial de gênero, nesse artigo trazemos elementos da cosmovisão iorubá, especificamente da mitologia de Nanã, Iemanjá, Oxum e Iansã, a fim de produzir e visibilizar tensões que (r)existem entre formas de organização não modernas e não gendradas presentes no contexto brasileiro e aquelas formas presentes na modernidade.
Leia Mais »

A filosofia ubuntu e o quilombo: a ancestralidade como questão filosófica

Doutor em Filosofia afirma que ao compreender a ancestralidade como um conceito filosófico, entende que a herança ubuntu, em nosso modo de ser e existir em práticas e modos sociais, culturais e políticos, como no caso dos quilombos, só foi possível devido à complexidade e à potência da ancestralidade enquanto conceito que carrega, em sua estrutura, uma ideia de repetição e de espectralidade, a saber, características de se repetir no futuro, sendo sempre presente, mesmo quando não se efetiva por completo.
Leia Mais »

O cortiço e a mulher negra: narrativa refratando a sociedade

Artigo propõe-se a analisar como se revelam a construção de raça, por meio do discurso, no romance O Cortiço, de Aluísio Azevedo. Destaca algumas personagens mulheres buscando dentro da obra os signos que apontem para além das falas, no intuito de compreender os discursos que constroem as personagens, refletindo se a caracterização delas é apenas uma manifestação fictícia de Azevedo, ou se elas podem revelar condições históricas reais.
Leia Mais »

Preposição com no português moçambicano (PM): uma análise qualitativa

O presente estudo faz uma análise qualitativa sobre o uso da preposição com no português falado em Moçambique. Os dados analisados neste artigo foram coletados em duas escolas secundárias da Província de Cabo Delgado- Moçambique. Os resultados mostram emergência de estruturas inovadoras no português moçambicano que consiste na preferência da preposição com para indicar meio em contextos, que a norma padrão culta exigiria o uso obrigatório da preposição de. Ressalta que essas novas estruturas não devem ser vistas como errôneas, desvios ou estranhas, mas sim como inovações ou adequações no contexto moçambicano resultantes do contato entre a língua portuguesa e as línguas do grupo bantu.
Leia Mais »

Colunistas »

“Kbela” e a produção de jovens negras para jovens negras

Artigo propõe-se a analisar como se revelam a construção de raça, por meio do discurso, no romance O Cortiço, de Aluísio Azevedo. Destaca algumas personagens mulheres buscando dentro da obra os signos que apontem para além das falas, no intuito de compreender os discursos que constroem as personagens, refletindo se a caracterização delas é apenas uma manifestação fictícia de Azevedo, ou se elas podem revelar condições históricas reais.

África & Africanidades latino-americanas e caribenhas

“Vamos olhar para a história cultural, sócio-política latino-americana, para as condições de construção das relações sociais, culturais e políticas dos países do continente e promover atores, associações e artistas que possibilitem reflexões críticas sobre a região. Um olhar por outro ângulo. Olhar a partir do Sul, a partir do subalterno, do marginalizado, do latino-americano e caribenho”.

Preta

“[...] No meio das encruzilhadas, poucos arriscam dizer “preta”, poucos arriscam chamar de “negra”. Qual o medo de referir a pele, e atestar o que somos? Pretas e pretos, quisera eu repetir todos os dias, o que sou. [...]”

História e memória da Comunidade Quilombola do Sítio Arruda em Araripe – CE

“Hoje os remanescentes quilombolas do Sitio Arruda, são formados por 65 famílias, além de várias outras que estão em diáspora. Na Comunidade, não há uma linha de genealógica predominante, portanto, são considerados herdeiros legítimos das terras pertencentes. Vale salientar a comunidade considera morador legítimo do quilombo todo aquele que é parente, consanguíneo, de grau mais afastado ou parente afim ancestral”.

Perspectivas antirracistas para o Serviço Social

“É necessário analisar cotidianamente as complexidades da formação e desenvolvimento da sociedade brasileira e o potencial violador de vários eixos de subordinação que vulnerabilizam determinados grupos, para tanto é preciso vivenciar uma formação que forneça bases teóricas e metodológicas para compreensão sobre a construção social de gênero, raça e classe e como se interseccionam no contexto brasileiro”

À luz da urgência: O debate racial nas salas de aula brasileiras

"No espaço escolar, a consolidação de uma Pedagogia antirracista, ou seja, de uma práxis combativa ao racismo epistêmico, se dá a partir de ações pedagógicas positivas perante o debate racial, pautadas em reflexões realistas sobre a condição da população negra na sociedade, reconhecendo mazelas e buscando a reversão de infâmias e rótulos que direcionados aos indivíduos negros contribuem para sua marginalização social."

Capoeira paranaense em perspectiva: presença negra

“[...]a capoeira foi estrategicamente silenciada, pois ela operava como um dispositivo de temática racial, que marcava a presença negra, contradizendo a ideologia paranista. Por outro lado, os novos estudos começam a desconstruir essa falsa imagem, mostrando que o negro foi essencial na formação do Estado e continua sendo parte integrante e estruturante da sociedade."

O refúgio e as migrações no Brasil atual

“Ao se deslocarem territorial e culturalmente, as pessoas que migram impõem ao mundo a necessidade de migrar também, através de sucessivos deslocamentos que exigem o repensar de muitas construções: desde a arbitrariedade do estabelecimento de fronteiras quanto a histórica produção de discriminações, preconceitos e estigmatizações”.

Serviço Social Ubuntu: eu sou porque nós somos

“[...] Sankofa, é o símbolo que revela a importância de se aprender com o passado, a expressão é um dos ideogramas utilizados pelo sistema de escrita Adinkra, que compunha as várias formas de expressão escrita existentes na antiga África, utilizado pelos povos Akan, da África Central. Com base nessa associação, concluímos ser impossível olhar para a conjuntura atual, e para o Serviço Social, sem olhar para o processo histórico da sua gênese e do seu desenvolvimento até os dias atuais, é necessário um retorno ao passado, compreendê-lo, conscientizar–se sobre ele, para assim entendermos o hoje. Como diria Gramsci, o presente contém todo o passado.”

Resenhas

“Ancestrais: uma introdução à história da África Atlântica”

“O livro de Del Priore e Venâncio mostra que saber-se descendente de “escravos” é um sentimento muito diverso de saber-se descendente de civilizações africanas que dominavam tecnologias, conheciam formas de organização política e tinham uma riqueza cultural significativa”.

Poesias

Minha arte Capoeira

“Capoeira Mãe angola, resistência original. Das rasteiras dessa vida, esquivei com precisão. Agradeço a capoeira, conhecimento e educação”.

De preto ao homem

“[...] Preto é razão Dessa gente que foi negada a educação Entre fútil e útil No nosso Brasil. [...]

Podia ser diferente

[...] “Ainda nas curvas do passado Sem encanto d´outrora ou vaidade Esperançada, tenho estado, Com a verdadeira liberdade [...]”